Colunas COLUNA DR ASCÊNCIO

SEJA AMOR E SERÁS MÃE

A mãe Medeia, o altruísmo do amor.

14/05/2023 08h22 Atualizada há 8 meses
Por: Dr. Sérgio Ascêncio
Foto de família
Foto de família

SEJA AMOR E SERÁS MÃE

Hoje, 14 de maio de 2023, no Brasil é uma data em que se celebra o Dia das Mães.   Em outros países essa data pode variar de acordo com a origem de sua comemoração. Como exemplo, países de idioma inglês existe o Mother’s Day, traduzido para o português como Dia das Mães e o Mothering Sunday, que seria o Domingo das Mães. Assim como no Brasil, o Mother’s Day é comemorado no segundo domingo de maio na Austrália, Estados Unidos e Canadá e Austrália, enquanto que no Reino Unido, o Mothering Sunday, uma data comemorativa cristã é celebrada no quarto domingo do mês da Quaresma.

Mas não é sobre as datas, como são denominadas e, tão pouco, em quais países celebra-se o Dia das Mães que me propus a escrever a coluna de hoje.  Acreditando ser um assunto fácil, de conhecimento amplo e também com experiência própria (de filho), me deparei com o desafio de dissertar sobre ser Mãe. Já lhes adianto que poderia escrever milhares de páginas e jamais conseguiria esgotar o assunto em toda sua beleza, significado e diferenças. Fazer elogios seria simplesmente atestar meu desconhecimento da grandeza e importância da palavra quando o assunto é ser mãe.

“Oh! a mãe que gerou o filho, que o amamenta e acalenta, que põe nessa frágil criaturinha o mais puro de todos os amores, essa mãe é Medeia, se a compararmos àquele engenho, que se consola da injúria, relendo-se; porque se o amor de mãe é a mais elevada forma de altruísmo, o dele é a mais profunda forma de egoísmo, e só há uma coisa mais forte que o amor materno, é o amor de si próprio”.

Machado de Assis, in 'Elogio da Vaidade'

Continua após a publicidade
Anúncio

A intenção simplista que a maioria tem sobre a data de hoje seria estar reunidos em família para celebrar, presentear e homenagear aquelas que receberam a Benção de ser mãe. Filhos são Bênçãos. Até iniciar o texto de hoje, meu pensamento era de que são os filhos que nos escolhem e não nós a eles. Porém, a magia e as descobertas de quão ampla é a benção de ser mãe me obriga a mudar alguns conceitos. No texto escrito por Machado de Assis figura mãe Medeia, como parte da existência no tempo ou mediadora de nossos erros ou fraquezas, e o seu amor dito como a forma mais elevada de altruísmo. Um amor livre de intenções ou desejo de recompensas que se manifesta com a dedicação ao próximo, puro e incondicional, sem nenhuma forma de preconceitos ou preferência, ao qual comparo com um juramento em que se honra com a própria vida. Um amor que se contrapõe ao egoísmo e a vaidade humana, que seria imbatível, se não fosse o amor a si próprio.

A vida depende de uma mãe para iniciar a jornada dos filhos, mas o amor de mãe é sem dúvida a motivação da vida, seja qual for a denominação atribuída aos infinitos tipos de mãe e independente de qual etapa da vida esse amor se manifesta, tanto para a mãe quanto para o filho. Para alguns, para ser mãe seria obrigatório mediar a fase uterina. Sentir a vida se manifestar em seu ventre e nutrir com seu sangue um novo ser, ao qual desconhece, não faz ideia de quem será, mas já ama e é capaz de defende-lo com a própria vida. Um ser que se desenvolve e toma forma a cada segundo em seu útero... ser o receptáculo da vida. Inquestionável que uma fase importante, porém é única e pessoal. Um período individualista e que se bastasse ou fosse obrigatório para ser mãe elevaria o mais completo egoísmo. Estaríamos ridicularizando a manifestação divina do Amor e de uma força superior, que eu acredito e o conheço por Deus. Isso explica porque é impossível para nós definirmos ou atribuirmos adjetivos para o significado de ser mãe, o incognoscível e aporia. Penso que para entender o que é ser mãe, é imprescindível que seja mãe. A mãe Medeia, que pode surgir em qualquer fase da manifestação da vida, independe de quem a iniciou, mudou, mediou ou permitiu a essa mãe escolher aquele filho...  Se o amor de mãe é o altruísmo mais elevado, o poder divino se manifesta de forma justa a permitir que existam infinitas formas de ser mãe.

Como filhos, só nos resta agradecer a todas e dizer... Amamos nossas mães.

Com o amor de filho, com o respeito que se deve a todas as mães e com o coração cheio de saudades do colo de mãe, que a distância no dia de hoje me impede de deitar e sentir seu carinho, gostaria de, na pessoa da minha mãe Rosa Hadas Ascêncio, agradecer a vocês mães que manifestam a vida em todas as nossas etapas de filhos.

Filhos, ao seu modo, com palavras pensamentos ou boas lembranças de sua(s) mãe(s)  expressem gratidão, respeito e celebrem essa  data com amor. Tem filho sortudo que tem várias mães. Mas nunca existirá filho que não tenha mãe.

Excelente domingo a todos.

Dr. Sérgio Ascêncio (Alquimista)

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Eliane Hadas Ascêncio Há 1 ano Cruzeiro do Oeste Paraná Sábias
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Dr. Sérgio Ascêncio
Sobre Dr. Sérgio Ascêncio
Possui graduação em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal do Paraná (1999), mestrado em Ciências (Bioquímica) pela Universidade Federal do Paraná (2002) e doutorado em Ciências (Bioquímica) pela Universidade Federal do Paraná (2006). Atualmente é professor Associado I do curso de Medicina da Universidade Federal do Tocantins, Coordenador do LPPN (Laboratório de Pesquisa em Produtos Naturais da UFT).